Respirante em ebulição.

Luiza Sarmento, Brazil

16.7.08

E quem não?



Às vezes tenho a senssação que sou volátil.
Às vezes tenho a certeza que sou volúvel.
Às vezes me sei infiel a mim mesma.
Às vezes apegada demais as certezas .
Às vezes feia,
Às vezes burra,
Às vezes mereço uma surra!
Mas disso meu ego se encarrega.
Dá, e passa.

6 comentários:

maker disse...

Passou a amargura? Tudo passa.
As coisas inocentes passam, as verdadeiras brotam, mas também passam, momentos passam, mas afinal, o que fica?

bendicto disse...

tudo,passa ...mas o que não passa...
é a vontade de ver luiza sarm...
na tv de novo.

Luana Marinho disse...

eh, as mulheres na fase da Tpm
sabem o q vc quis dizer!

rs

bendicto disse...

tpm ???que sera...
cruel,este dia,fazer o que ?
sei lá.
nada melhor que ignorar,não acha ?
beijos.

bendicto disse...

zero hora,quatorze minutos...]onde esta,alguém dizia as vezes ?
as vezes ?
quem poderia dizer isto ?
as vezes.
nada mais,era nada mais que a mulher mais linda que já vi.

Evaristo Calixto disse...

Oi, Luiza!

Seu poema expressa que a única luta que vale a pena travar é consigo mesmo (é a única em que vencer nunca é isso, contudo faz toda diferença...).

É preciso humildade para abordar a obviedade sem desmerecê-la, e extrair dela algo transformador.

Gosto de seus textos e de sua participação no "Comentário Geral". Porém, dependendo do tema, o programa termina muito rápido...

Você tem o que expressar, o que dizer. Continue!