Respirante em ebulição.

Luiza Sarmento, Brazil

23.11.08

Limoeiro

Que limonada, que nada! Quando a vida me dá um limão, faço logo a minha caipirinha, e brindo às dificuldades. Pois uma vida sem percalços, não reconhece o frescor das transformações. Pode chamar de demagogia se você só conseguir pensar em comparar os seus com os meus problemas. Cada um sabe a sua dimensão, mas poucos aprendem a dimensioná-lo. Problemas cabem em caixas fósforos ou em casas inteiras, são “multi-dimensionáveis” e precisam estar num lugar ao alcance dos olhos, mas nunca da boca. Não podemos nos alimentar dele sem que ele se alimente de nós. Por isso, por pior que seja, Canto! Nada que esteja em minha vida, pode ser maior do que eu! É tudo meu, de direito e obrigação, e tenho direito de desfrutar um problema, ao invés de sofrê-lo. Nessas horas gosto de lembrar de um dado que li, que diz: Ser o fruto de um espermatozóide fecundado, é seis vezes mais difícil do que ganhar na mega-sena. Temos sorte de estarmos nesse mesmo mundo! E se a minha sorte será boa ou má, sou eu quem decide.
E pra mim já ta decidido! A minha próxima ávore será um limoeiro.

5 comentários:

Suellen Analia disse...

Todo mundo acha que tem um problema maior do que o do outro. É incrível.
Ao invés de reclamar tanto, poderiam estar é achando uma solução pra eles.
Porque solução sempre tem, mas tem gente que gosta de ir pelo caminho mais difícil, viu?

Amanda Hora disse...

Eu acredito q temos o peso q conseguimos carregar. Então pra quê ficar reclamando da vida ao invés de procurar logo uma solução. Reclamar é tão ruim, maior baixo astral.

Bjoss

Mauro disse...

Soneto Problemático

Atlas não reclama e leva mundo às costas.
Sísifo eternamente a sua pedra volve ao topo.
Prometeu atado ao promontório quase fica louco
Enquanto abutres lhe retalham em postas.

Penélope fiando e desfiando os dias
Espera Ulisses que nunca retorna
Esse, que após uma batalha extenuante
Enfrenta um mar de cíclopes e harpias.

E o que dizer da doce Psiquê
Provando a ira de uma deusa avara
só porque amara um deus e quis lhe ver?

Todos abrindo a caixa de Pandora,
Todos provando o gosto de viver
Os seus problemas sem jogá-los fora.

Amanda_Mor disse...

Meus parabéns,Luiza !

Felicidades e muitos anos de vida...Que você encontre sua metade da laranja ,porém enquanto isso não acontece use a metade do limão e faça um caipirinha !!!!

Mil beijos, de uma entre muitos fãs teus !


Amanda_Zen

Evaristo Calixto disse...

Luiza escreveu: "Problemas cabem em caixas fósforos ou em casas inteiras, são 'multi-dimensionáveis' e precisam estar num lugar ao alcance dos olhos, mas nunca da boca. Não podemos nos alimentar dele sem que ele se alimente de nós."

Profundo e iconoclasta, Luiza! Muitos acreditam que levar os lampejos de ética/moral para tomar sol é antiquado. Pelo contrário, ir fundo nas coisas e abarcar o lado virtuoso nunca foi tão vanguardista como hoje em dia... Um vanguardismo sem alarde, discreto, é verdade.

Mas vivacidade é luz de dentro, não de fora.

Sou seu admirador e confesso que sem você, o "Comentário Geral" perde o sentido. Você mora em meu coração! Beijos.