Respirante em ebulição.

Luiza Sarmento, Brazil

27.9.11

Homo Eternus

O homem nasce e sofre,

e se alegra,

e sofre,

e cresce,

e sofre,

e se alegra.

E se pergunta se é possível estar para além do sofrimento:

E assim o homem pariu Deus,

(…pelo menos é isso que ele pensa…).


Então ele olha pra fora,

e procura respostas,

mais óbvia: dinheiro.

…e ele trabalha,

e abre mão de (quase) tudo para ter estabilidade.

Ele ganha.

Ele perde.

Ele troca.

E pra grande maioria,

Mais perde do que troca.

Então ele se vê numa encruzilhada:

Ou ele desencana,

e abre uma cerveja,

Ou ele busca conhecimento.


O conhecimento diferente do dinheiro,

só se valoriza ao ser partilhado.

E quando multiplicado,

transborda do ser humano,

E deixa outras marcas na história.


E a história se expande!

E a natureza se encolhe...

E enquanto o homem procura:

Comida,

Dinheiro,

A chave de casa,

Sexo,

Solução para a andropausa,

E fareja pela imortalidade;

se depara com uma resposta:

E se desconfia maior que Deus!

E se depara com outros milhares de mistérios,

E se sente...

humano.

Nova encruzilhada:

Ou ele se ilumina,

Ou se deixa cegar.


E nesse meio tempo

o tempo passa.

E assim…

E assim,

Ele vê a morte chegando,

E avalia o seu apego,

E avalia o seu legado,

E sussurra sua prece,

Ou se desespera,

Ou se emociona,

Ou se conforma,

Ou se entrega,

Ou compreende,

e se despede.

3 comentários:

Evaristo Calixto disse...

Oi, Luiza!

Que fôlego! Um épico em linhas gerais o seu "Homo Eternus". E vc é sabida: um impasse existe qdo o homem realiza em si a lição de Jesus: "Vós sois deuses!". Nesse ponto ele realiza o deus antropomórfico em si, mas inevitavelmente percebe que o Deus verdadeiro é mais do que qualquer forma humana, e nunca emparelhar-se-á com Ele. Se ceder ao desapontamento, seu poder de destruição ou de engodo aumenta mais ainda... Intuo que essa é a situação daqueles que estão na cúpula do mundo neste momento. Não se prepararam para a nova etapa da verdade em que ingressaram. Talvez estejam hesitando, pois queriam chegar aonde chegaram e dar a caminhada por encerrado. Grande engano... Há um infinito pela frente.

A partir de coisas assim é que a máxima "tudo está certo" começa a fazer sentido e perder a vaguidão. O mais importante é não se precipitar.

Parabéns pelo talento, vi você ontem no "Comentário Geral" sobre "Cabelo"! Você é preciosa!

snaambalaj disse...

Ihre so schön in der Poesie

reinodalira disse...

Nossa!...Isso é lindo, querida! Em alguns momentos eu quase me perdia nos ciclos, na rotação, versificação...sei lá!...É fantástica a sua poesia!...Tens muito talento... divina!... Quando quiser dê uma passadinha no meu Reino da Lira, e diga o que acha de meus poeminhas ou parangolés!...Ficaria honrado!... E mais uma vez meus parabéns! Sou o seu mais novo fã!...Bjs