Respirante em ebulição.

Luiza Sarmento, Brazil

30.10.07

TESTANDO O MICROFONE:



Toda hora

Que adentro esse espaço

Me descompasso na esperança de um interlocutor

Pra esse meu interior.

Chego aqui

Xingo,

Pergunto,

Sinto,

e eco!


...ECO?!

3 comentários:

Júlia disse...

Somos o sol de uma na lua da outra, lembra! Não esqueça porém que, apesar disso, formamos juntas uma mesma conjunção astral.
Devo confessar. Sofro de um mal, a preguiça. Tenho preguiça de mostrar meu amor da maneira usual do tipo "eu te amo". Sei que muitas vezes você quer ouvir justamente isso de mim, eu não te dou e você fica puta.
Não fica puta. Eu te amo, mas sinto que você sempre acaba precisando de mais e eu não tenho do jeito que você quer. O que eu tenho é piada e minhas conversas arrogantes de intelectual barata (sei que você pensa isso de mim e tudo bem porque eu te amo! e eu gosto de fazer piada disso também).
Eu também procuro interlocutor em você, mas fico com preguiça quando não acho aquilo que procurava.
Talvez seja isso. Não estamos satisfeitas com a interlocução que achamos uma na outra por esta não estar de acordo com nossas espectativas. Sempre acabamos achando profunda demais ou superficial demais. Os velhos desencontros! Não é a toa que você fala de eco, ou seja, uma reprodução de você mesma no outro. Queremos ouvir o eco de nós e não o outro
Não tenho fim pra isso e só fico pensando que esse texto vai ficar no blog pra galera ver. Que horror! Deleta isso!

Luiza Sarmento disse...

...Bem, só pra explicar. Essa aí é minha irmã.

Vinícius disse...
Este comentário foi removido pelo autor.