Respirante em ebulição.

Luiza Sarmento, Brazil

6.11.07

Esse filme eu já li




Sem explicação
Some,
Deixa na mão.

Coração padece:
Dói,
Mói,
Teima
Enfim, desaparece.

Muda o vento,
Faz-se a chuva,
Chega domingo
E agora procura?

Lamento amigo
As coisas comigo,
Mudaram a figura.

Falo de perto,
Direto e reto:
Amargou-se a doçura.

Deixe lavar a temporada
Ter a alma passada
Pra reinar a ternura.

Melhor assim:
Deixa quieto!
Vai por mim!



3 comentários:

Vinícius disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Manu Sarmento disse...

Vamos por você, sim, porque tá lindo, lindo, lindo!

Esse foi minha estréia na leitura de seu caderno.

Ótima iniciativa criar um espaço para deixar o sentimento correr solto. Vc precisa disso. Ah, sim! E o principal. Tá disponível para a gente se deliciar também!

Eu, cá, de origens portuguesas, estou a pensaire - "Ora pois, então o Tião também deve ser um bom ator!"

Beijos e Parabéns!

Fabio Machado disse...

Gostei muito da sua seção de poesias, uma mistura de lirismo, com realidade escrachada e a sensibilidade feminina. Bem contemporâneo, bem cativante, bem interessante.


Saudações fraternais,
Fabio Machado.