Respirante em ebulição.

Luiza Sarmento, Brazil

24.4.08

Entrega teu caminho à Deus e Ele tudo Fará.

Pobre Deus! Como se já não bastasse a responsabilidade das mortes causadas por catástrofes, doenças e fome, tem também que arcar com a vida daqueles que as entregam em suas santas mãos, como num serviço de atendimento ao cliente, mesmo tendo total capacidade de conduzi-las. Além disso tem também que se responsabilizar por aqueles que fazem com suas próprias mãos injustiça divina, em Brasília, na polícia e nas favelas, sempre com a frase: "Fé em Deus".

Meu Deus! Quanto mau se faz em teu nome.

Pelo amor de Deus não pensem que tenho algo contra Ele! Pelo contrário, por lhe ter enorme consideração e apreço, prefiro tirar o Seu da reta. Se de fato fomos feitos à sua imagem e semelhança, então ele tem figura humana, e nós nos assemelhamos em, em... Em quê? Quem sabe em seu poder? O poder de conduzirmos nossas vidas sem responsabilizar ninguém. Convivendo com a dor de se saber responsável pelos próprios erros, e o orgulho de contabilizarmos nossas vitórias.

É caro criador! Pode deixar que a minha parte eu faço e vou continuar fazendo.


Se Deus é pai, acho mesmo, que ele me agradeceria por menos essa responsa, e ficaria orgulhoso em ver que sua filha cresceu e sabe caminhar com as próprias pernas, conduzindo seu caminho, sem entregá-lo na mão de ninguém.

Foi Ele mesmo quem me deu essa chance:

Só à mim que digo amém.

8 comentários:

Luiza Sarmento disse...

Já sei, Já sei... Polêmica. É apenas o que passa na minha cabeça, quando leio frases como esta. E o que passa na sua, ao ler isso?

ღ Izabella Coelho disse...

Questão complexa...
Eu não sou daquelas pessoas que falam Nele o tempo todo, como minha tia. Dona Luzia é uma típica carola fofa e solidária, mas tem uma língua crítica ligada na tomada 24 horas por dia. Ela sabe, como poucos, deixar uma pessoa sem graça num papo informal. Vou exemplificar: ontem eu estava arrumando meus livros porque estou de mudança. Achei dentre tantos a pequena Bíblia que ela me deu na minha 1ª comunhão. Ela estava ao meu lado me ajudando (sim, porque estou de mudança e com o pé quebrado, rs) quando peguei a Bíblia e vi que dentro havia lembranças da minha 1ª comunhão (aqueles "santinhos" personalizados que as pessoas distribuíam, na minha época, para os pobres convidados. Não sei como é agora. Cruzes! To ficando velha). Fiquei toda feliz e falei: Olha tia! Que legal! Ela me olhou e disse: “É... Sua mãe era tão cuidadosa... Pena que foi sua primeira e única comunhão...”

Não acho que precisamos ir à Igreja para falar com Deus. Aliás, “em nome de Deus” já foram cometidas incontáveis barbaridades pela própria Igreja católica (deixa pra lá...). Penso que podemos conversar com Ele em qq lugar: na praia, em casa, no trânsito (ouvindo Hora do Blush, rs). Confesso que ainda estou em busca de alguma religião que responda todas as minhas dúvidas e angústias e que não me force a fazer algo porque é de praxe. Mas confesso também que fico mais tranqüila em pensar que existe uma força maior que tudo e que todos e que Ele sabe de tudo e o porquê de tudo. Sem essa certeza me sinto órfã.

Claro que nossas burradas e nossas vitórias são fruto da nossa forma de encarar a vida e tb da nossa criação. Da estrutura que recebemos desde a infância, dos caminhos escolhidos por nós. Afinal Ele nos concedeu a “livre arbítrio” não é isso? Aí está Deus novamente... rs

Bem, é isso. Eu só queria fazer um comentário, mas já escrevi muito. Acho que preciso de um blog, hahaha. Vi o seu flog na comunidade do orkut e é a primeira vez que passeio por essas bandas. Gostei do que vi! ;)

Tenho que ir que as caixas de mudança me esperam!
Um beijão Luiza!
Izabella

Vinícius disse...

Bem,pelo que entendi a questão é:"o homem é o DONO de seu PRÒPRIO destino?".Se enterdemos o termo dono como TER algo e próprio como aquilo que CARACTERIZA,DESIGNA, então a resposta é SIM!Já que no instante que nascemos temos um destino e no que morremos teremos aquele que ilustará as nossas decisões, etc ...ou seja nossa história.

Vinícius disse...

O problema é que não escolhemos nosso ponto de partida (porquê?)!Acredito,porém, que talvez este momento se dá quando tomamos conciência de nós,daí por diante cabe seguir um processo de aperfeiçoamento, difícil,pois aonde encontrar a pergunta certa?Mas, autoconhecimento para exercer realmente o livre-arbítrio basta?O medo da dor,que cria hábitos, nos faz aceitar os desafios do progresso pessoal com facilidade?Não,é preciso ter confiança,que traduzindo do latim "con fides" significa "com fé".Bem a falta de auto-estima nos faz colocar toda a fé em Deus,por exemplo!(e o sentimento de culpa tbm!)Bem ...é isso que acho,"não saber de si é apenas algo que nos ocorre e nos humaniza",o mais importante é seguirmos em frente!A maioria das religiões na sua essência nos dá um sentido para isso,por isso as acho importantes!Sem elas, e nosso abdômem,nós homens nos acharíamos o PRÓPRIO!!!rs!Bjos carinhosos!

Selma disse...

Prefiro tb livrá-LO do encargo de me pagear, sabe? Cuidar espiritualmente dos meus caminhos já LHE dá bastante trabalho...E O deixa mais livre pra cuidar de td o mal feito em nome DELE...

maker disse...

Até a fumaça apanhada pelo vento, deixa vestígio de sua passagem.
“Uma palavra áspera pronunciada em vidas passadas, não deixa de existir, mas sempre renasce.
Crie tuas chances de amanhã.
Aceite o quanto o mérito te reserva.
Anima-te e contenta-te com o destino.

Sê como o oceano,
que recebe tanto os grandes
quantos os pequenos rios.
A imensa calma do oceano
permanece inabalável,
recebe-os e não os percebe.

VLADÍMIR FRANCISCO disse...

LUIZA!!!!!....

GENIAL O TXTO DO DRUMMOND. SUA POESIA RESPIRA VIDA E REFLEXÃO. SEU BLOG SEMPRE MUITO CRIATIVO...

VLADÍMIRFRANCISCOTOMAZONI(OPOETA)

VLADÍMIR FRANCISCO disse...

LUIZA!!!!!....

GENIAL O TXTO DO DRUMMOND. SUA POESIA RESPIRA VIDA E REFLEXÃO. SEU BLOG SEMPRE MUITO CRIATIVO...

VLADÍMIRFRANCISCO